3ª edição: Histórias vividas na edição anterior, ficam marcadas na 25ª Bienal do Livro SP

0
301

Vocês, nossos visitantes, nos enchem de alegria a cada forma de carinho. E o mais importante, é saber que proporcionamos momentos incríveis e inesquecíveis na vida de cada um. Desde criança como fã de carteirinha da Bienal do Livro SP, a identificação com muitas das histórias é inevitável. 💓

Convido vocês a lerem mais histórias vividas na “Disney” para que ama livros e cultura:

O momento que mais me marcou na visita à Bienal do Livro em 2016 foi a oficina de xilogravura que fiz com o mestre Stênio Diniz. Ela estava programada para durar 1h30, mas durou 3 horas. Isso porque o Sr. Stênio era extremamente generoso em compartilhar tudo o que sabia. Sua paixão me contagiou a tal ponto, que fiz uma oficina de cordel com as crianças da ONG onde atuo como educador social. Pesquisando mais sobre o cordel na internet, para preparar a oficina, encontrei informações sobre o sr. Stênio, e somente nesse momento é que me dei conta de que tinha aprendido com um dos maiores cordelistas do Brasil.

Almir Correa Domingos

Almir Correa Domingos

Bem, eu fui em praticamente todas as edições da Bienal do Livro SP desde 2009 e amo o evento como um todo. Mais da metade dos meus livros foram comprados durante a Bienal, mas não é só isso que o evento me proporcionou... Conheci meus melhores amigos na Bienal do Livro SP, amigos que estão comigo até hoje, além de ter sido lá que tive a ideia de criar o meu canal, o "Hey, Wag", que hoje é um dos veículos que estará credenciado na Bienal 2018.

W. Junior (Hey, Wag)

W. Junior (Hey, Wag)

A Bienal do Livro em São Paulo têm sido um dos maiores laços que une a minha família. Nossa trajetória começa em 2012 quando o menor dos meus filhos três filhos, com apenas dois anos, ficou horas espalhado em tapetes e almofadas interagindo com Contadores de histórias. Em 2016 estávamos no estande do SESC assistindo mais uma das muitas Contrações de histórias populares que de tão acessível nos sentimos mais uma vez em casa prontos a tirar sapatos, rolar no chão, nos enrolamos entre os livros e assim navegar mais uma vez nesta imensidão de possibilidades. A relação afetiva que temos ultrapassou as barreiras da imaginação e assim neste percurso me tornei Orientadora de Sala de Leitura numa Escola Municipal da cidade de São Paulo. Tenho acesso a atendimento personalizado, levar alunos, escolher títulos para compor o acervo, levar apresentações literárias através da Academia Estudantil de Letras e acima de tudo encantar meus filhos dando lhes a maior herança e tesouro que tenho: LER.

Fernanda Matos

Fernanda Matos

Em 2016 fui a bienal com a minha filha de 2 anos na época. Ela ficou encantada com os livros apresentações culturais. Realizamos muitas leituras, demos muitas risadas e aproveitamos o espaço infantil, além de trazermos vários livros para casa. Ela já gostava.de livros após a visita passou a gostar ainda mais e a contar histórias para as sua bonecas. Foi maravilhosa nossa visita.

Elizete e Rhadija

Elizete e Rhadija

É com muita satisfação que compartilho minha primeira experiência na Bienal. Eu estava em casa, com joelho inchado, tinha descoberto recentemente um problema no joelho, e com dores em casa, naquele desânimo meu marido perguntou se eu aguentaria ir na Bienal do Livro. Ah, mesmo que fosse de cadeira de rodas não perderia por nada esse convite. E fui! A primeira vez na Bienal. Embora uma devoradora de livros nunca tinha ido. Contanto posso sentir novamente a sensação de estar entrando na Bienal. Foi mágico! Incrível! Andei por todos os lados, nem liguei para dores e inchaço. Foi um dia mágico! Tantos livros e tantos leitores vorazes como eu, claro! Amei demais, comprei muitos livros e conto as horas para a Bienal desse ano! Amo mais que chocolate!

Karoline C. Barbeiro

Karoline C. Barbeiro

Em 2016 visitei a Bienal com minhas amigas Denise e Thalita no dia de Cosplay. Usamos nossos uniformes de Hogwarts, Thalita e eu da Grifinória e Denise da Sonserina. Temos amigas da Corvinal e Lufa Lufa também, mas infelizmente elas não puderam ir completar a turma nesse dia. Passamos o dia todo no evento e fizemos umas fotos bem legais, principalmente no estande temático de Harry Potter da Editora Rocco. Mas o que mais nos fez sorrir foi a alegria da criançada quando a gente passava. Elas pediam para tirar fotos com a gente, empunhar nossas varinhas e segurar o Monstruoso Livro dos Monstros feito pela Thalita. Algumas chegaram a nos pedir autógrafos também. Foi bem divertido e emocionante. O hábito de ler trouxe muito mais do que conhecimento ou passatempo para minha vida. Foi por causa da leitura que encontrei alguns de meus melhores amigos e tenho histórias como essa pra contar.

Lívia de Arruda

Lívia de Arruda

Essa história aqui lembra a minha! ⤵💞

"Contamos" nossa vida de muitas formas: pelas festas de final de ano, pelas Copas do Mundo, e pela Bienal! Afinal, o que vale na vida não são os dias que vivemos, mas como os vivemos. Já fui à algumas bienais. A primeira, era uma jovem sonhadora. O tempo passou, me casei e tive filhos. Na Bienal 2016, tive o privilégio de levar minha filha e minha mãe, com quem já vivi "algumas" bienais. Este ano, vamos com a família ainda mais completa: marido, mãe, filha e filho, pois o amor deve ser vivenciado e compartilhado de muitas formas!

Day Crist

Day Crist

A 25ª edição acaba amanhã! Vem viver essa emoção. ♥

Sonho. Euforia. Magia. Realização. Conhecimento. Essas e tantas outras palavras podem definir o que é a Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Não deixe de viver essa experiência.

#BienaldoLivroSP 📚📖  #DescobrindoABienaldoLivroSP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here