4ª edição: Histórias vividas na edição anterior, ficam marcadas na 25ª Bienal do Livro SP

0
249

Assim como nós, você já está com saudade da Bienal Internacional do Livro SP?

O que se vive no evento é lembrança para o resto da vida, seja pelo autor que conheceu, pelos livros que comprou ou pelas risadas que deu. Tanto na 25ª edição, ocorrida este mês, quanto nas 24 anteriores, o que não falta são histórias que perpetuando edições e gerações.

Conheça mais relatos de quem passou pelos nossos corredores:

A minha história com a Bienal do Livro SP é bastante antiga, desde de 1986, quando era no Expo Center Norte. De lá pra não perdi nenhuma. Hoje tenho a companhia de meus filhos e de minha esposa que não perdemos nem uma. Há anos, vou mais de uma vez; com o pessoal da escola é evento certo! Na minha vida, deixo como herança cultural pra minha família a Bienal do Livro de São Paulo há cada dois anos. Há muitos fatos históricos e acontecimentos que ocorreram essas idas as bienais: novos amigos, livros, brindes e momentos multiculturais muitos legais. Parabéns Bienal do Livro SP... Estamos juntos.

Tobias Lucio Adriano

Tobias Lucio Adriano

Participar da Bienal pra mim é um legado, que tenho o prazer de passar para o meu filho. É um evento onde se respira cultura, conhecimento. É uma celebração ao prazer da leitura.

Michele Novaes

Michele Novaes

Eu não perco as bienais do Livro, sou apaixonada por este grandioso evento. Tenho uma filha com 27 anos e desde seu primeiro ano de vida eu a levo comigo e passei essa paixão a ela também, para minha felicidade! Ela, com um ano de idade, em meu colo, apontou para um livro espírita: "Se Téia não fosse um espiritozinho" e a autora estava presente. Com muito carinho autografou o livro com os seguintes dizeres: "Para a garotinha de sorriso fácil e brilho nos olhos..." Temos o livro até hoje e ela fala dele com muito carinho. Durante sua infância eu li várias vezes para ela e depois de ser alfabetizada, lia e relia a história, sempre encantada! Tenho muitas lembranças e momentos maravilhosos em todas as Bienais, creio que daria para escrever um livro com muitos capítulos! Espero sempre com muita alegria a Bienal em nossa cidade.

Arlete Ribeiro

Arlete Ribeiro

Em 2016, comprei o livro de um autor por quem sou apaixonada, o Daniel Bovolento. Ao comprar o livro num estande, estava super triste porque havia perdido a sessão de autógrafos dele que tinha acontecido no dia anterior. Alguns minutos depois, entrei no estande de uma outra editora e enquanto caminhava por ele, vi um autor sentado, conversando com alguns amigos e para minha surpresa era o próprio Daniel, que naquela ocasião, estava apenas de passagem pelos estandes, mas que foi mega fofo e mesmo assim autografou meu livro e tirou foto. GANHEI MEU DIA COM AQUILO!

Jéssica Paixão

Jéssica Paixão

Nossa!!!! Quase não deu tempo de dizer, de poder compartilhar ...foi nessa Bienal de 2016 que pude comprar os primeiros livros sobre Medicina e Farmácia para minha filha Carol... quanta emoção 😊❤... Ver seus olhos azuis brilhando de felicidade... Emoção sem limites, valeu cada instante. Pronta para voltar!

Ione Anjos

Ione Anjos

Em 1º lugar, vou à Bienal do Livro SP por gostar muito de ler. Na Bienal de levei duas alunas da dança (adolescentes) para conhecerem e terem o gosto pela leitura, gostaram tanto que pediram para irem comigo este ano novamente. Muito bom, pois mostramos o universo da leitura para outras pessoas que acabam gostando e se interessando também. E lá vamos nós a Bienal 2018.

Alessandra Segantin Procopio

Alessandra Segantin Procopio

O melhor momento da Bienal do Livro 2016 foi ver meu filho, o Chicão, com 6 anos na época, feliz rodando no meio de tantos quadrinhos que encontramos em vários estandes!

Fabio Shiraga

Fabio Shiraga

Não temos uma máquina do tempo para voltarmos ao começo do mês, mas os vídeos eternizaram a mega celebração em nome da leitura e multicultura. Vem ver:

#ChegaLogo2020!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here